Quem Administra o Dízimo | Série: Dízimo, O que significa e qual o seu valor – 3

Quem Administra o Dízimo? A Igreja Administra o Dízimo.

 

Quem Administra o dízimoQuem Administra o Dízimo é a Igreja. Se o dízimo é de Deus, é claro que a administração do dízimo está a cargo da Igreja, é ela quem está trabalhando para aplicá-lo na obra de Deus. 

Aqueles que se dedicam a esse trabalho é que têm a responsabilidade de administrar.

Dízimo é oferenda, é oferta, e se damos alguma coisa a alguém não podemos mais interferir naquilo porque não nos pertence mais.

Em sua infinita sabedoria, Deus, estabeleceu que aquilo que Lhe pertence deve ter suas leis e normas.

Como o universo e toda a criação obedecem a leis e normas, também leis e normas estabelece a e determina quem administra os “negócios de Deus” aqui na Terra. E, a norma de Deus para o dízimo e ofertas, é que seja entregue em Sua casa, a Igreja.

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o senhor dos Exércitos. Mal 3.10

Tem pessoas que por trabalharem muito na Igreja, acham que não precisam dar o dízimo, pensando que o seu trabalho substitui o dízimo.

Em contrapartida, outros por darem o dízimo acham que não precisam trabalhar na Igreja pensando terem feito sua parte no trabalho.

Nenhuma dessas duas posições está correta, Deus quer de nós o trabalho e a contribuição para que o trabalho e o Reino se desenvolvam e cresçam.

O serviço e a contribuição são duas coisas distintas e necessárias para a Igreja. Ela precisa do nosso serviço para desenvolver-se e do dinheiro para pagar aquilo que não é possível fazermos.

Não podemos trocar nosso dízimo por nossas ofertas pensando: “Não dou o dízimo, mas contribuo com boas ofertas…” é o que muitos fazem. Pode até ser admissível, desde que as “boas ofertas” superem o valor do dízimo.

O povo de Deus deve ter o prazer em contribuir com os dízimos e ofertas para o Reino de Deus.

Vamos voltar ao texto de Malaquias 3.8

Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Malaquias 3.8

Podemos perceber neste texto que Deus pede ao seu povo os dízimos e as ofertas. Não só o dízimo nem só as ofertas, mas os dois. Porque ambos são importantes para a manutenção de sua Igreja.

Os Crentes que contribuem com o dizimo e as ofertas demonstram fé e responsabilidade no trato com as coisas de Deus e reconhecem que Quem Administra o Dízimo é a Igreja.

Embora seja um mandamento de Deus para os seus filhos, o dízimo é acima de tudo um ato de fé. Mesmo sendo uma obrigação, não é este o sentimento de obrigação que me leva a contribuir com meu dízimo e minhas ofertas.

Tudo o que eu faço na Igreja é como um ato de fé, como responsabilidade e gratidão por tudo o que ele tem me dado e feito por mim. Mesmo que seja feito em benefício da Obra de Deus, Ele condena qualquer coisa que seja feita por obrigação ou por mera formalidade.

Religião é coisa do coração, é fé, produto de uma vida colocada nas mãos de Deus. Isaías 1. 11 e 16

11 – “Para que me oferecem tantos sacrifícios?”, pergunta o Senhor. “Para mim, chega de holocaustos de carneiros e da gordura de novilhos gordos. Não tenho nenhum prazer no sangue de novilhos, de cordeiros e de bodes!” 16 – “Lavem-se! Limpem-se! Removam suas más obras para longe da minha vista! Parem de fazer o mal”. Isaías 1. 11 e 16

Neste texto, o profeta Isaías, fala ao povo inspirado por Deus, revelando algo que ainda existe até hoje nas Igrejas.

Muitos até fazem boas ofertas e se intitulam mantenedores da Igreja, enquanto seus corações estão cheios de maldade, e contribuem sem o verdadeiro espírito da contribuição.

É a fé em Deus como Pai bondoso amoroso: dono de todas as coisas e Senhor da Igreja e, principalmente Senhor de sua própria vida, que deve levá-lo a ser contribuinte com seu dízimo e ofertas.

A fé é que deve levar a pessoa reconhecer o valor da Igreja. Quem tem fé entende que a Igreja é o novo povo de Deus, dirigido por Jesus Cristo e pelo Espírito Santo e que tem a missão de libertar aqueles que estão oprimidos pelo diabo e sofrendo toda a sorte de dores.

Quem tem fé não olha para a Igreja como se ela fosse uma organização qualquer. Quem tem fé entende que a Igreja é uma comunidade formada por filhos e filhas de Deus em luta constante contra todas as hostes do inferno. Mateus 16.18

‘Eu lhe digo que você é “Pedro”, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não poderão vencê-la’. Mateus 16.18

Este texto é motivo de muita discussão. Muitos acham que a “pedra” a que Jesus se refere e sobre a qual edificaria a Sua Igreja seria o próprio Pedro. Assim ele teria sido o primeiro “PAPA” da Igreja Cristã.

Outros afirmam que a “pedra” não é Pedro, e sim a sua afirmação contida no versículo anterior: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”. Sendo assim a “pedra” seria o próprio Jesus.

Há também quem afirme que a “pedra” seria o próprio Pedro, mas que a autoridade apostólica não estaria somente sobre ele. Ele seria a “pedra” apenas como um representante dos demais apóstolos. Dessa maneira, a “pedra” é a comunidade apostólica, que, pela sua posição de liderança, comandaria as ações da Igreja.

Assim como cada um tem o seu pensamento, particularmente eu também tenho o meu, porém, o mais importante neste versículo é o que a maioria dos que discutem não levam em consideração, é a parte de que: As portas do inferna não poderão vencê-la.

O Importante é que a Igreja está em constante combate contra “as portas do inferno”. Embora o diabo e seus anjos estejam investindo a todo o momento contra os filhos de Deus na tentativa de tragá-los.

A única solução para a derrota das portas do inferno é a ação da Igreja de Jesus Cristo, e, essa Igreja não poderá agir se não tiver os recursos suficientes se os seus membros não contribuírem com os seus dízimos e as suas ofertas.

Quando entregamos o nosso dízimo e nossas ofertas para a Igreja, estamos dando um golpe poderoso nas “portas do inferno”. Satanás e seus anjos gemem a cada contribuição dos filhos de Deus, porque eles sabem que isso significa a sua derrota.

Quero te fazer uma pergunta muito importante: Você administrando o seu dízimo e suas ofertas, então você é capaz de combater as portas do inferno?

Não caia no engano de Satanás soprando no seu ouvido dizendo que o pastor, o sacerdote é Quem Administra o Dízimo, fazendo endurecer seu coração para não contribuir na Obra de Deus.

Lembre-se que normalmente nas horas mais difíceis da vida, quando nos deparamos com problemas espirituais que não conseguimos solucionar, o primeiro lugar onde você busca ajuda é na Igreja com o sacerdote ou com o Pastor. É por isso que ela precisa dos nossos dízimos e nossas ofertas!

 

Não esqueça de comentar, curtir e de compartilhar este post. Ficarei muito grato à você!

Se tiver uma pergunta, terei todo prazer em te responder!

Deus o abençoe!

Fonte: As bênçãos que Enriquecem de R.R. Soares. Graça Editorial.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.